Mudanças e escolhas - FranklinCoveyFranklinCovey
O PRINCÍPIO 90 / 10
22 de janeiro de 2016
f-bill
Bill Moraes
15 de fevereiro de 2016
Mostrar tudo

Mudanças e escolhas

Por Stephen Covey


Vivemos num mundo que se modifica numa velocidade inconcebível. A cada dia que passa, surge um novo desafio, e cada desafio exige uma resposta que o iguale, porque constatamos que, quando um desafio competitivo eleva o nível da disputa, os padrões, os processos e as práticas que davam certo no passado deixam de funcionar. Como pode a força de trabalho de hoje funcionar num ambiente que exige tanto e que se transforma tanto? Que habilidades e competências é preciso possuir para ser um funcionário bem-sucedido hoje?

A impermanência no mercado global e a tecnologia em rápida transformação geraram uma necessidade crítica de que os indivíduos que compõem a força de trabalho liderem a si mesmos.
Em qualquer organização, cada pessoa precisa conhecer e compreender qual é seu papel, o que e por que precisa ser feito. Cada funcionário precisa ser capaz de responder às perguntas: “O que estamos procurando fazer?”, “Quais são os princípios que operam aqui?”, “Como devo reagir?”.

Creio que existam apenas três constantes na vida. A primeira é a mudança, a segunda, os princípios, e a terceira, a opção -o poder que temos de nos adaptar às outras duas constantes e reagir a elas. Talvez a maior necessidade que temos hoje seja de algo que não mude -um núcleo imutável.

Basear nossas vidas em princípios imutáveis e atemporais, como honestidade, confiança, justiça e respeito, confere-nos tal núcleo -uma âncora que nos dá a chance de adaptação e reação às forças da transformação e à nova dinâmica da economia global.

A liderança centrada em princípios é a chave para desencadear o potencial humano individual. Cada pessoa da força de trabalho precisa empreender uma viagem para se tornar líder por opção -uma pessoa que assume a responsabilidade por sua vida, suas escolhas e seu desempenho.

Quando você consegue fazê-lo, desenvolve a integridade e o caráter necessários para se adaptar e reagir às transformações, para pensar de maneira criativa e encontrar as melhores soluções, para se comunicar com eficácia, para ser alguém que pode ser ensinado, para construir confiança e ser confiável. Olhando essas qualidades, não lhe parece que elas descrevem o funcionário ideal?

Uma forma de analisar as habilidades e as competências necessárias para a força de trabalho de hoje é usar a lista dos sete hábitos delineados em meu livro, “The Seven Habits of Highly Effective People” (“Os Sete Hábitos das Pessoas Muito Eficazes”).

São eles: 1. liderança própria (ser consciente de que você é responsável sobre você mesmo), 2. possuir senso claro de objetivo, significado e rumo, 3. adaptabilidade (trabalhar com outras pessoas para buscar situações em que sempre haverá ganho comum); 4. comunicação eficaz; 5. sinergia (possuir as habilidades necessárias para trabalhar em equipe); 6. respeito próprio; 7. “afiar o serrote”, que é a soma dos outros seis itens (é preciso que o funcionário aperfeiçoe todos os hábitos, conservando-se aberto a novas oportunidades e à possibilidade de ser ensinado).

É claro que também deve buscar o estudo e o treinamento necessários para fazer uma contribuição em sua área de atuação. E você precisa se manter atualizado em matéria de habilidades tecnológicas e buscar oportunidades para aumentar suas habilidades.

Aproveite todas as oportunidades de crescimento – participe de workshops profissionais ou de formação, leia e mantenha-se a par de sua profissão ou área de trabalho e tire tempo para fazer uma contribuição em sua organização ou comunidade. A liderança é uma escolha.

Qualquer pessoa que participa da força de trabalho hoje deve optar por ser líder; logo, saiba escolher o caminho que quer seguir.

Deixe um comentário e compartilhe!