Falamos a mesma língua… mas não nos entendemos
2 de setembro de 2015
Pequenos líderes: novo método quer ‘criar alunos para vida’
15 de setembro de 2015
Mostrar tudo

A mudança de Paradigma na Comunicação

Por João Palmeira


Falar é uma necessidade, escutar é uma arte. – Goethe, Johann           


O modelo abaixo utilizado por Stephen M. R. Covey em seu livro – A Velocidade da Confiança, discute comportamentos e a comunicação relacionados a liderança.


Essas dimensões possuem correlação, sempre que uma delas é impactada as outras sofrem influência em algum grau. A confiança é estabelecida quando os comportamentos e linguagem estão alinhados.
O impacto de uma mudança na linguagem pode trazer uma nova visão a respeito de como enxergamos os outros e o mundo a nossa volta.
Conta certa história que um pregador entusiasmado falava em praça pública a um grande número de ouvintes.  Como muitas vezes acontece, um escarnecedor interrompeu-o dizendo:
 Pregador, o seu Deus pode fazer tanta coisa como você esta dizendo,  mas não pode  mudar a roupa desse mendigo que está ao seu lado.
O pregador, sem se perturbar, respondeu:
 Realmente, Nisso o senhor tem razão.  Deus não vai mudar a roupa desse mendigo ao meu lado,  mas Deus pode mudar o mendigo que está dentro dessa roupa.
Mudar não é fácil, as vezes nem mesmo temos a consciência da necessidade da mudança.  Uma maneira de fazer isso é, perguntar as pessoas que se importam conosco sobre que sinais estamos emitindo no processo da comunicação ou  ainda avaliar os resultados que temos colhido. 
Temos a tendência de usar estratégias que deram certo.  Isso começa na mais tenra idade, alguns utilizam o choro, a birra, a teimosia, a insistência, os gritos ou o silêncio.  Ao fazer isso ao longo de muitos anos, não percebemos nossos comportamentos e os repetimos constantemente.
A primeira coisa a fazer é estar atento ao nosso comportamento e se mostrar disposto a mudar.  No livro Conversas Cruciais, os autores sugerem que estejamos atentos as estratégias que usamos.  As pessoas tendem a não se sentir seguras, quando não há fluxo livre de informações, isso acontece quando tentamos impor nossas ideias.  Geralmente as reações estão dentro de uma das estratégias citadas.  Olhe para o resultado de  suas experiências  recentes de comunicação em bate papos informais ou em reuniões formais. Será que há um padrão? A insegurança na conversa  tende a nos deixar totalmente cegos `a solução.  O caminho é reprogramar o cérebro, fazemos isso ao nos colocarmos em posição de questionar nossa percepção sobre nossos motivos verdadeiros.  O que pode ser feito então? Segundo os escritores Joseph Grenny, Ron Mcmillan, do livro Conversas Cruciais, alguns dos possíveis caminhos, são:
 Aprenda a ver o conteúdo e as condições
 Procure o momento em que a situação se torna decisiva
 Aprenda a observar problemas de segurança
 Olhe para ver se os outros estão buscando estratégias de silêncio ou agressividade
 Procure explosões do seu estilo sob estresse.
Comunicar-se eficazmente é uma questão importante no meio profissional, precisamos identificar quais são os motivadores, desejos e necessidades dos envolvidos e de que maneira nos comportaremos e passaremos a mensagem.  A comunicação pode ser feita de mais de uma maneira, através de gestos, imagens, oral, escrita e pela mídia em suas diferentes formas.   Nos comunicamos basicamente a maior parte do tempo de forma escrita e oral, quando desejamos rapidez, a forma oral sempre será mais eficaz, a escrita formaliza a informação.  Seu objetivo na comunicação poderá determinar a melhor maneira, tenha sempre em mente qual o conteúdo será abordado.
Algumas vezes criamos barreiras imaginarias e agimos como se fossem verdades absolutas, é preciso superá-las.  Precisamos esclarecer nossos objetivos, ser diretos e algumas vezes ser breves em nossas colocações, certificando-se que a mensagem está sendo entendida.
Que comportamentos poderão nos ajudar no processo da comunicação eficaz?
Vejamos alguns deles:
  Procure evitar interromper a pessoa que estiver falando;
  Mostre sincero interesse pelo outro e pelo assunto;
  Evite emitir juízo antes de compreender claramente;
  Acredite no que está sendo compartilhado, até que lhe seja provado o contrário;
  Procure manter-se atento a maior parte do tempo possível;
  Pergunte apenas para se certificar e esclarecer o que estiver ouvindo;
O processo de comunicação eficaz pode parecer trabalhoso, mas pense: O que posso ganhar se conseguir me fazer entender?  Como posso mostrar interesse verdadeiro no outro? Como posso melhorar minhas habilidades de comunicação? O que eu não tenho feito, e se fizesse mudaria os meus resultados?
Boa reflexão!

Deixe um comentário e compartilhe!